quarta-feira, 29 de abril de 2009

Jornalismo didático?

Adaptar-se aos diversos tipos de mídia existentes, e ser aberto ás que ainda virão. Com tantas formas de escrever, como o jornalista vai conseguir identificar e alinhar-se ao modo certo de cada mídia. A TV, o rádio, a revista, blogs, microblogs, infográficos.

Você blogueiro, acredita ser um jornalista didático. Neste universo em que frequentamos, que buscamos informações e entreterimento, nós estamos respeitando preceitos jornalísticos? Como o lidi, ou as leis do discurso. Qual a relevância do seu blog? Você consegue definir o seu público alvo, ou seus textos são escritos ao léu, sem qualquer relevância.

Suas informações respeitam a lei da sinceridade? Qual a confiança que seu texto passa para seus leitores, e como nós podemos mensurar o alcance e aceitação do nosso público?
Faltam ainda pesquisas que completem informações sobre blogueiros, e sobre os leitores dos blogs. Li sobre o livro do escritor britânico Andrew Kenn, que escreveu o livro "The cult of the amateur: How today´s internet is killing our culture".

Pelo que vi a respeito, parece que ele defende a tese, de quem a web 2.0 está deflagrando nossa cultura, que com a facilidade em se publicar informação, nãoe pode ter mais confiabilidade no que se lê.
Então, como é que que nós blogueiros, distinguimos esse mar de informações diversas? Como vamos passar confiabilidade para nossos leitores?
Essas questões devem ser abrangidas entre os participantes dessa revolução, pois qualquer generalização da falta de confiança na web 2.0 atinge á todos nós, que tentamos passar uma informação diferente, para um público, que muitas vezes não tem tempo de ler ou assistir a diversos jornais.

E ai, o quê vamos fazer?

sábado, 11 de abril de 2009

30º Prêmio Vladimir Herzog

Depois de muito, muito tempo, eu finalmente consegui uma cópia do DVD com a gravação do programa especial gravado no 30º prêmio Vladimir Herzog. Dia 27/10/2008.

Graças a Prof. Ms. Regina Tavares, coloco a disposição de vocês uma parte do programa que foi ao ar pelo canal universitário, pela extinta (ainda sem explicações do motivo), TV UNICSUL.

Eu editei o vídeo mostrando somente as cabeças, uma entrevista com Heródoto Barbeiro, e minha entrevista com André Deak. Mas verei se consigo autorização para divulgar todo o programa, e se consigo uma forma de fazer isso, já que quase não consigo publicar esse vídeo editado por causa do tamanho. Se souberem como consigo fazer isso, por favor postem comentários. Por que eu tive uma briga para conseguir essa façanha.

E já me decidi, como até hoje não consegui fazer um podcast para este blog, minhas entrevistas com Caco Barcelos, Heródoto Barbeiro e Carlos Dorneles, as quais tenho apenas o aúdio, serão postadas aqui como um vídeo feito no Movie Maker. Só preciso de um pouco de tempo e descanço para fazer isso.

Essa entrevista começou a ser elaborada no
Laboratório da faculdade, onde preparavámos a pauta para a aula de TREP (Técnicas de Reportagem), tínhamos um entrevistado, vencedor de alguma categoria da edição de 2008 do prêmio. Escolhi o Deak depois de assistir ao documentário Nação Palmares, trabalho que lhe rendeu o prêmio na categoria internet. A discussão abordou o tema da luta pela liberdade dos negros. A forma como o tema foi mostrado, com interatividade, interessante e muito inteligente, mostrou um jeito diferente de fazer jornalismo. Por isso a minha escolha.Equipe do

Depois disso comecei a acompanhar a carreira do Deak, da forma que consigo, umas olhadelas aqui e ali. E o vejo como grande jornalista multimídia. Vide os trabalhos dele, alguns dos quais disponíveis no blog ANDRÉ DEAK.

Sintam-se á vontade para tecer comentários sobre minha atuação, sobre as gaguejadas e perguntas feitas.

Um Abraço!



video